Durante desfile, indígenas mostram beleza e diversidade nos JMPI

Fonte: Do G1 TO

Indígenas de etnias brasileiras e estrangeiras mostraram a beleza e a diversidade cultural durante um desfile na noite deste sábado (24), nos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas (JMPI). A mostra Cunhã Porã - mulher bonita - foi realizada na arena da Vila Olímpica. Uma passarela foi montada no local e as mulheres desfilaram para apresentar ao público a diferença dos trajes adotados por cada etnia, os adereços e pinturas corporais. Os JMPI seguem até dia 31, em Palmas.

O ator Marcos Frota, que está em Palmas desde a quinta-feira (22), foi quem apresentou a mostra. Oito indígenas Pataxó, da Bahia, iniciaram o desfile. As saias, tops e cocares foram desenhados por uma indígena da etnia, Ludmila Pataxó.

Os adereços adotados pelas etnias chamaram a atenção do público. Entre os materiais usados pelas brasileiras estão as penas, fibras, miçangas, palhas e sementes. Eles são aplicados em saias, colares e cocares. Os corpos pintados recebem outros adereços como faixas coloridas nos braços e nas pernas.

Além das brasileiras, a indígena da delegação do Panamã chamou a atenção com um colar dourado. Participaram também, uma guerreira da Mongólia e as Maori, da Nova Zelândia, que fizeram uma coreografia mostrando raça e força.

O evento teve ainda uma apresentação musical da delegação da Mongólia e encerrou com um indígena Kamayurá carregando a tocha acompanhado por guerreiros da etnia Gavião com arco e flecha. Todos se direcionaram para a Pira dos JPMI, enquanto fogos de artifício encerram a mostra.

Os JMPI serão realizados até o próximo dia 31 de outubro. Participam cerca de 1,8 mil atletas indígenas, dos quais 1,1 mil são de etnias brasileiras e 700 de etnias internacionais. Além do Brasil, outros 24 países participam das competições.